Política de privacidade

Estes dados são registados informaticamente e destinam-se única e exclusivamente para contacto por parte desta entidade.

  • 11
    Mai

    A Fotografia Enquanto Expressão Autoral e Artística

    Ler Mais
  • 17
    Abr

    Inauguração da Exposição: PIN, de João Mota da Costa e COLOSSO, de Rodrigo Cardoso

    Ler Mais
  • 07
    Abr

    A Fotografia enquanto processo de conhecimento do Território - CEFT e Rede Cultura 2027

    Ler Mais
  • 31
    Mar

    As infraestruturas museológicas, os arquivos e a fotografia

    Ler Mais
  • 17
    Dez

    Uma poesia da paisagem, Caminhando com F. Pessoa: a experiência da psicogeografia na cidade de Tomar

    Ler Mais
  • 20
    Nov

    Portal em Fotografia e Território

    Ler Mais
  • 13
    Nov

    Semana da Fotografia de Tomar - actividades adiadas

    Ler Mais
  • 04
    Nov

    Encontro no âmbito da “Exposição Tomar Industrial, uma visão contemporânea - fotografia e cinema”

    Ler Mais
  • 05
    Set

    Oficina de Fotografia: Descobrir a Aldeia

    Ler Mais
  • 20
    Mai

    Reabertura do CEFT com novo horário

    Ler Mais
  • 20
    Nov

    1º Aniversário do CEFT

    Ler Mais
  • 18
    Nov

    1ª Semana de Fotografia de Tomar decorreu de 18 a 23 de Novembro de 2019

    Ler Mais
  • 09
    Set

    Professores de Tomar visitam CEFT

    Ler Mais
  • 16
    Jul

    A Fotografia foi à Escola 2

    Ler Mais
  • 08
    Mar

    Colaboração com a Companhia de Teatro Fatias de Cá.

    Ler Mais
  • 02
    Mar

    Rede Cultura 2027

    Ler Mais
  • 08
    Fev

    A Fotografia vai à Escola 1

    Ler Mais

  • Jul

    A Casa dos Cubos na nas páginas da Roof - An IN&OUT Magazine

    Ler Mais

pensar fora
da caixa

mas dentro
do cubo

Sobre Nós

O CEFT tem como missão o estudo e a investigação da cultura fotográfica na sua interdependência com o papel da imagem nos mecanismos de governação territorial.

Ler Mais

Organigrama

Em Agenda
Abr
Ciclo de Exposições em Fotografia e Território, abril - novembro
21 Abr
Ciclo de Conferências online em Fotografia e Território
19 Jun
A invenção da Amnésia - Fernando Brito, Miguel Rodrigues, Nuno Andrade
23 Jun
Videoconferência, Céu Guarda - 17.30h
23 Jun
Projecto Museu Aldeia - CEFT Casa dos Cubos

De exposições, simpósios, ofertas formativas e muito mais, consulte os nossos

Projetos em Curso

  • Clube de Fotografia de Tomar

    Pretende-se com a abertura desde clube, proporcionar à população de Tomar, o acesso a Laboratório de Fotografia, mediante condições de utilização pré-determinadas.

    Esta inciativa está dependente de instalações com condições técnicas adequadas. Será divulgada oportunamente.

  • Estudo e divulgação do legado algarvio dos fotógrafos Asta e Luís de Almeida d’Eça

    Este projecto de investigação aplicada, tem como objeto o estudo aprofundado de todo o legado relativo ao Algarve deixado pelos fotógrafos Asta e Luís de Almeida d’Eça e também a sua subsequente divulgação pública através de uma exposição e da edição de um livro.

    INTERVENIENTES 

    1. UNIVERSIDADE DO ALGARVE (abreviadamente designada por UAlg), representada pelo Reitor, Prof. Doutor Paulo Manuel Roque Águas,
    2. INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR (abreviadamente designado por IPT), representado pelo seu Presidente, Prof. Doutor João Paulo Freitas Coroado,
    3. CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOA DO ALGARVE (abreviadamente designada por CM Lagoa), representada pelo seu Presidente, Dr. Luís António Alves da Encarnação,
    4. CÂMARA MUNICIPAL DE TOMAR (abreviadamente designada por CM Tomar), representada pela sua Presidente, Sr.ª D.ª Anabela Freitas.

     JUSTIFICAÇÃO 

     O Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, adiante designado por CEFT - IPT / CM Tomar, foi criado por protocolo de cooperação entre o IPT e a CM Tomar, e é o detentor de grande parte do legado deixado pelos fotógrafos Asta e Luís de Almeida d’Eça, o qual é constituído por mais de 50.000 originais fotográficos, por 240 cartazes e também por correspondência e outros documentos diversos. Cerca de 11.000 originais desse legado são dedicados ao Algarve e é particularmente sobre este conjunto que incide o presente Protocolo de Colaboração.

    O legado relativo ao Algarve de Asta e Luís de Almeida d’Eça é bastante vasto e é nuclear no percurso profissional dos referidos fotógrafos, mas está apenas estudado de forma superficial. Assim, as entidades acima listadas, a que futuramente se poderão juntar outras, decidiram reunir esforços e competências para dar resposta positiva ao objeto do presente Projecto.

    TERMOS DE REFERÊNCIA

    A UAlg, o CEFT - IPT / CM Tomar, e a CM Lagoa são, em conjunto, os autores do presente projeto. Deverão escolher e indicar os seus representantes, e comunicar as suas decisões aos restantes intervenientes.

    Os seus representantes são:

    • UAlg
      • Nuno de Santos Loureiro, Professor Auxiliar do DCTMA - Faculdade de Ciências e Tecnologia e coordenador dos Encontros de Fotografia de Lagoa;
    • CEFT - IPT / CM Tomar
      • António Ventura, Especialista em Audiovisuais e Produção dos Media – Fotografia, pelo Instituto Politécnico de Tomar, Professor adjunto, Membro da Comissão Coordenadora do Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, CEFT-Casa dos Cubos;
      • Patrícia Romão, Mestre em Conservação e Restauro, Técnica Superior na Divisão de Turismo e Cultura da CMT, membro da Comissão Coordenadora do Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, CEFT-Casa dos Cubos;
    • CM Lagoa
      • José Fernando Rodrigues Vieira, Arquitecto Paisagista, Dirigente Intermédio de 3º Grau, Divisão de Ambiente da Câmara Municipal de Lagoa do Algarve

     O CEFT - IPT / CM Tomar, como co-autor do presente projeto e na sequência da sua missão, que pretende tomar a imagem como elemento dinâmico, reflexivo e condicionador dos processos coletivos de tomada de decisão no espaço comunitário, bem como o estudo e a investigação da cultura fotográfica, da preservação e divulgação dos arquivos fotográficos históricos e contemporâneos, irá realizar:

    • a captura digital dos originais fotográficos do conjunto relativo ao Algarve;
    • o inventário e a catalogação do mesmo conjunto;
    • deste processo serão produzidos conteúdos pelos investigadores do CEFT, sobre a biografia dos autores, considerações sobre a preservação de coleções de Fotografia, a Fotografia e o Território, que irão complementar os conteúdos a produzir pelo investigador da UAlg.

     A UAlg e o CEFT, em estreita colaboração e com o apoio da CM Lagoa, vão escolher um conjunto de imagens do legado acima referido, para com base no mesmo levar a cabo um estudo aprofundado e depois a sua divulgação através de uma exposição e da edição de um livro. Tal esforço incidirá particularmente sobre as seguintes vertentes:

    • ‘O Algarve de Asta e Luís de Almeida d’Eça’, ou seja, a representação da região através das imagens feitas pelos dois fotógrafos;
    • o método de trabalho dos fotógrafos em busca da ‘imagem perfeita’ de cada tema, de cada local e de cada situação que visitaram e fotografaram no Algarve;
    • a distribuição geográfica das imagens do Algarve;
    • a utilização que foi feita (e em que datas) dessas imagens, para a divulgação e promoção turística da região, nomeadamente através da publicação de cartazes, brochuras e livros profusamente ilustrados destinados a dar a conhecer nacional e internacionalmente os encantosdo Algarve.

     O IPT e a UAlg, envidarão esforços para acolher alunos graduados nos estudos aprofundados que estão acima enunciados.

     A primeira apresentação pública da exposição e do livro que resultarão deste exercício decorrerá no Algarve. Depois, a exposição poderá deslocar-se pelo país em itinerância, sendo o CEFT - IPT / CM Tomar, na Casa dos Cubos, o destino preferencial para dar início à mesma.

    Em todas as apresentações públicas ou em qualquer outra situação de divulgação de ‘O Algarve de Asta e Luís de Almeida d’Eça’, sejam elas sobre a forma da exposição, sobre forma do livro ou quaisquer outras, serão sempre indicados de forma adequada todos os intervenientes, nas suas respetivas qualidades, atestando as co-autorias da UAlg, do CEFT - IPT / CM Tomar e da CM Lagoa neste projeto e conforme o presente Projecto de investigação aplicada.

  • O CEFT digital

    O Projecto CEFT Digital, tem como objectivo a produção e divulgação de conteúdos digitais que decorrem das actividades do Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, CEFT - Casa dos Cubos.

    Estes conteúdos, videos, diaporamas ou PDFs, serão disponibilizados a partir de links para acesso a diversas plataformas onde esses conteúdos estarão acessecíveis para visionamento ou para serem descarregados.

    ___________________________________________________________________________

     

    "Um dia de chuva na Fábrica de Fiação de Tomar" (youtube) 

    Diaporama que resulta de reportagem fotográfica na Fábrica de Fiação de Tomar - 2007, agora parte integrante da exposição "Tomar Industrial, uma visão contemporânea: Fotografia e Cinema".

    Projecto e imagens: António Ventura

    Som: Miguel Urbano

    Arquivo CEFT - Casa dos Cubos, 2020 

     

     

    "THOMAR" VISTO POR ANTÓNIO DA SILVA MAGALHÃES (youtube) 

    Animação a partir de fotografias de época (finais do Século XIX)

    Concepcção e coordenação de projecto por António Ventura e Patrícia Romão

    Design e edição vídeo de Pedro Gonçalves, Gonçalo Figueiredo e Andy Vring

    Sonoplastia de Miguel Urbano

    IPT/CMT - 2004

    Arquivo CEFT - 2020

     

    RESIDÊNCIA FOTOGRÁFICA EM PAISAGEM, PATRIMÓNIO E TERRITÓRIO - MAÇÃO 2018 (youtube)

    Residência Fotográfica em Paisagem, Património e Território, organizada pelo Instituto Politécnico de Tomar, IPT, pelo Instituto Terra e Memória; ITM, e pela Câmara Municipal de Mação, CMM.
    Esta iniciativa que decorreu entre Julho e Agosto de 2018, foi coordenada por António Ventura, IPT, por Sara Cura, ITM/CMM e por Sara Garcês, ITM. Teve o apoio de Anabela Pereira, CMM e de Gonçalo Figueiredo, LabFoto do LAB IPT. Este projecto deu origem à Exposição de Fotografia "Nas Curvas do Espanto: Médio Tejo, que caminhos para uma mudança?" Esta exposição inaugurou o Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, em Novembro de 2018.
    A Residência Fotográfica foi participada por:
    - Beatriz Areias, finalista da Licenciatura em Fotografia do IPT;
    - Filipe Martins, a frequentar o 2º ano da Licenciatura em Fotografia do IPT;
    Créditos Fotográficos:
    - António Ventura;
    - Beatriz Areias;
    - Filipe Martins;
    - Gonçalo Figueiredo;


    Arquivo de Fotografia do CEFT - Casa dos Cubos, 2020

     

    Inauguração do CEFT em 20 de Novembro de 2018 - Rádio Hertz (youtube)

     

     

     

     

  • inMemo® Fotografia e Memória

    inMemo® Fotografia e Memória

     

    Plataforma WEB para repositório de Fotografia

    O Projeto visa o desenvolvimento e implementação de uma plataforma “web”, para repositório de fotografias realizadas por profissionais, das mais diversas áreas do conhecimento que necessitam de utilizar a fotografia como forma de registo visual, com a finalidade de testemunhar, comprovar ou demonstrar algo, utilizando-a na forma documental, em relatórios, pareceres, projetos, ações de divulgação e sensibilização, ou outros. Esta plataforma online, personalizada de acordo com a imagem corporativa da organização, promotora, permitirá de um modo seguro, amigável e flexível, a cada profissional no terreno, organizar e imediatamente salvaguardar, para memória futura, as suas coleções de fotografia, preservando-as, descrevendo-as, tornando-as assim pesquisáveis, acessíveis online, e, por conseguinte, partilháveis entre pares. Com este serviço, cada utilizador poderá convidar outros pares, utilizadores da plataforma, criando assim uma rede profissional, para potenciar a partilha das fotografias. A partilha das fotografias será configurada de acordo com diferentes níveis de acesso.

     

    Parceiros

    Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, CIMT

     

     

  • Projecto Fotografia e Território

    O Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, CEFT – Casa dos Cubos, possui uma natural vocação para a relação da fotografia com o Território e para os fenómenos que o explicam, não só porque possui um arquivo fotográfico histórico, mas porque desenvolve projectos fotográficos contemporâneos que acrescentam conhecimento.

    O actual projecto em Fotografia e Território está a ser desenvolvido em várias frentes e etapas.

    Coordenação:

    • António Ventura, Comissão Coordenadora do CEFT
    • João Henriques, Membro do CEFT

     

    Encontro em Fotografia e Território, 20 de novembro 2020  

    Painel 1, 10.00h - 13.00h:

    • Sobre o conceito de Território, e dos diversos fenómenos que o explicam;
    • Sobre a possibilidade da fotografia poder contribuir para melhorar a percepção desses fenómenos;

     

    Luiz Oosterbeek, IPT/ITM - orador/moderador

    António Ventura, IPT/CEFT - Casa dos Cubos

    João Abreu, Museu da Paisagem, IP Lisboa/FCT

    Miguel Pombeiro, Comunidade Inter-municipal do Médio Tejo

    Sérgio Nunes, IPT/CIAEGT

    https://youtu.be/6UMhm9n-Uo8 

    Painel 2, 14.30h - 17.00h:

    • Apresentação do Blog em Fotografia e Território, promovido pelo CEFT.;
    • Debate entre Autores e apresentação de projectos em Fotografia e Território;

    João Henriques, Mestre em Fotografia pelo IPT/Fotógrafo, Membro do CEFT- orador/moderador

    Duarte Belo, Fotógrafo

    Fotógrafo a convidar(?)

    Margarida Correia, Fotógrafa

    Miguel Rodrigues, Fotógrafo

    https://youtu.be/d-j-a88G6Gg

      

    Portal em Fotografia e Território

    O Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, CEFT - Casa dos Cubos, por ocasião do seu 2º aniversário, em 20 de Novembro, apresentou publicamente um portal em Fotografia e Território, que está disponível na internet.

    Este projecto inovador, recebeu já a participação de mais de 20 autores de referência e já disponibiliza cerca de 30 projectos em Fotografia e Território. O portal já registou cerca de 14000 visitas.

    O portal em Fotografia e Território foi apresentado publicamente no Encontro Em Fotografia e Território que decorreu dia 20 de Novembro, em formato de Videoconferência.

    Este projecto é uma iniciativa digital do CEFT - Casa dos Cubos, que também pretende assim dar uma resposta adequada às necessidades em temos de pandemia e do necessário distanciamento.

     

     

    Fotografia e Território - CEFT

    Fotografia e Território - Centro de Estudos em Fotografia de Tomar

    fotografiaeterritorio.ceft.pt

      

    A Fotografia enquanto processo de conhecimento do Território

    Rede Cultura, 2027, ENCONTROS EM REDE: Às Quartas Fazemos Uma Fotografia de Grupo

    No dia 7 de Abril, às 18h00, teve lugar o segundo webinar deste ciclo para refletir sobre A Fotografia enquanto processo de conhecimento do Território.

     

    Convidados:

    • Álvaro Domingues, Geógrafo, Investigador e Professor na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto 
    • Frits Gierstberg, Curador no Nederlands Fotomuseum em Roterdão
    • Liz Wells, Professora de Cultura Fotográfica na Faculdade de Artes da Universidade de Plymouth
    • Paulo Catrica, Fotógrafo e Investigador do Instituto de História Contemporânea

    Moderação: João Henriques

    https://fb.watch/4OIHyYxw1b/

     

    Sinopse:

    Os termos Território, Paisagem e Lugar parecem designar a mesma realidade, no entanto, fazem-no a partir de pontos de vista e preocupações distintas.

    A noção de território implica uma visão instrumental, política e administrativa da paisagem. Aproxima a terra iluminada pela luz do dia da urgência de localização e orientação geográfica.

    Já a noção de paisagem e lugar implica mais facilmente uma aproximação a uma visão autoral. Pressupõe subjetividade, uma estética e até uma ética e política do lugar, que implica sempre reconhecimento da dialética com o não-lugar.

    A sessão tem como questões chave o modo como se separam e cruzam as abordagens fotográficas de âmbito territorial e paisagístico, como comunica a imagem fotográfica e de que forma se expressa.

    A moderação está a cargo de João Henriques, Fotógrafo e Programador no Centro de Estudos em Fotografia de Tomar (CEFT) e Programador de Conferências no Imago Lisboa Photo Festival.

     

    Ciclo de Exposições em Fotografia e Território

    Abril a Novembro de 2021

    PIN, João Mota da Costa,

    Colosso, Rodrigo Simões Cardoso

    17 Abril – 6 Junho

    A Invenção da Amnésia, Miguel Rodrigues, Fernando Brito, Nuno Andrade

    19 Junho – 28 Agosto

    O Sítio em Vista, Paulo Catrica

    11 Setembro – 7 Novembro

     Programação: João Henriques



     

    Organização:

    Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, CEFT – Casa dos Cubos / IPT / CMT

    Local:

    Casa dos Cubos – Tomar

    O projecto “Fotografia e Território”, promovido pelo CEFT – Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, iniciou-se em Novembro de 2020 através do lançamento do portal https://fotografiaeterritorio.ceft.pt/, o qual aspira ser uma referência para o arquivo de projectos com ligações ao território nacional, onde consta já um conjunto significativo de autores e trabalhos, que proporcionam um panorama diverso da fotografia portuguesa nessa temática. Procurando aprofundar as ligações, e transmitir conhecimento à comunidade fotográfica e ao público em geral, o CEFT - Casa dos Cubos apresenta em 2021 um Ciclo de Exposições em Fotografia e Território, com a programação de João Henriques, fotógrafo com ligações a Tomar, cidade onde nasceu, e onde também estudou, no Mestrado em Fotografia do Instituto Politécnico de Tomar.

    A primeira das exposições do Ciclo em Fotografia e Território, promovida pelo Centro de Estudos em Fotografia de Tomar (CEFT), apresenta 2 projectos: PIN, de João Mota da Costa, com uma abordagem fotográfica realizada no Concelho de Óbidos, cujo ponto de partida foi o Decreto Lei que regulamenta os projectos PIN (Projecto de Interesse Nacional), através do qual se regulamenta e autoriza a construção em áreas de paisagem protegida da costa portuguesa. Colosso, de Rodrigo Simões Cardoso, é um conjunto de imagens derivadas do interesse numa formação rochosa invulgar, algures na costa portuguesa. Ambos os projectos exploram zonas próximas de um dos grandes marcadores visuais da identidade paisagística portuguesa, a costa marítima, no de João Mota da Costa vincando-se a tensão entre o território, a ecologia e a preservação/destruição e os interesses económicos; no caso do Rodrigo Cardoso, para analisar a paisagem através de uma fragmentação em diferentes escalas, de linhas e formas de uma anatomia peculiar, numa amplitude que se inscreve entre a busca da essência na, e da, natureza, e o traço na paisagem que o homem e o tempo nela vai inscrevendo.

    João Mota da Costa - (1954). Exerce Medicina na especialidade de cirurgia de mão. Iniciou o seu percurso na Fotografia em 1969, exibindo e publicando com maior regularidade desde 2011. Estudou no Atelier de Lisboa, e terminou a Pós-Graduação em Discursos de Fotografia Contemporânea na Faculdade de Belas Artes de Lisboa.

    Rodrigo Simões Cardoso - (1973, Lisboa). Fotógrafo, vive e trabalha em Lisboa. Completou o curso de fotografia do AR.CO em 1996, e o curso avançado de fotografia na escola MauMaus em 1997. Concluiu o curso de Projecto e Construção de um Livro orientado por António Júlio Duarte e David-Alexandre Guéniot no Atelier de Lisboa entre 2017 e 2019, e residência artística com Jem Southam na Serra do Açor em 2019.

Miguel Rodrigues (1978, Lisboa). Doutorando em Belas Artes na Faculdade de Belas Artes da ULisboa desde 2017. Concluiu o Mestrado em Arte Multimédia pela mesma Faculdade (2018). Concluiu a Pós-Graduação em Fotografia, Projecto e Arte Contemporânea no IPA/Atelier de Lisboa (2012). Frequentou a Licenciatura em Filosofia na Faculdade de Letras da ULisboa (2001). Estudou Fotografia no Atelier de Lisboa com Bruno Pelletier Sequeira, Jem Southam, António Júlio Duarte e Federico Clavarino. Estudou também no Ar.Co e na APAF.

    Fernando Brito, (1963, Luanda). Vive e trabalha na área de Setúbal. A sua obra autoral movimenta-se em torno de questões relacionadas com paisagem e território, inserindo-se atualmente num espaço que cruza o cinema experimental, a fotografia, a performance e a instalação audiovisual.

    Nuno Miguel Andrade (1974, Lisboa). Vive em Almada e trabalha em Lisboa, onde combina os seus projectos pessoais com o seu trabalho como arquitecto. Estudou fotografia na “Maumaus” entre 1993 e 1995 e no Atelier de Lisboa entre 2014 e 2016. Nos últimos anos tem vindo a desenvolver um trabalho de cariz documental, explorando os locais e as pessoas que habitam a cidade onde vive, tendo o rio Tejo como guia e elemento de referência. O seu trabalho já foi exibido em Portugal , França, Finlândia e Índia. Em 2016 o trabalho “Ginjal” foi seleccionado para os encontros de fotografia de Braga e fez parte dos projectos expostos no festival. Foi finalista ao prémio da Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira, 2016, com o projecto  "Maré Baixa" em em 2018 com o projecto "The Feeling of What Happens". Em 2019 ganhou o prémio "Prix HSBC pour la Photographie", publicou o seu primeiro livro e expôs o seu trabalho em várias cidades Francesas. Em 2020, cinco das suas fotografias foram adquiridas pela "Fondation de France" para integrar a sua colecção de fotografia contemporânea.

    Paulo Catrica (Lisboa, 1965). Estudou Fotografia no Ar.Co (Lisboa, 1985) e História na Universidade Lusíada (Lisboa, 1992). Concluíu Mestrado em Imagem e Comunicação pelo Goldsmith’s College, (Londres, 1997) e recebeu um PhD na Escola de Arte e Media da Universidade de Westminster (Londres, 2011). Bolsas de investigação do Centro Português de Fotografia (1999), Fundação Calouste Gulbenkian, Londres (2001) e Fundação da Ciência e Tecnologia (2006/2010 e 2014/2017). Exibe e publica o seu trabalho regularmente desde 1997.

     

    RESIDÊNCIA EM FOTOGRAFIA E TERRITÓRIO

    Fotografia, Memória e Identidade, no território Tomarense

    Objectivos gerais

    Proporcionar aos participantes uma visão ampla das possibilidades da Fotografia na constituição e aprofundamento do imaginário, da identidade e da memória visual de um território.

    Obter registos fotográficos da cidade, ou do concelho, que aprofundem e acrescentem conhecimento sobre a realidade contemporânea Tomarense.

    Destinatários

    Estudantes da Licenciatura em Fotografia, Cinema, Artes Visuais.

    Recém licenciados em Fotografia, Cinema Documental, ou Artes Visuais.

    Público em Geral, desde que se comprove, formação ou prática em Fotografia.

    Número de vagas 

    10

    Condições de participação 

    Entrega de ficha de inscrição.  

    A participação será aprovada depois da apresentação de nota curricular, portefolio fotográfico ou realizada entrevista. 

    Será emitido certificado de participação, pelo IPT. Se os participantes desejarem entregar relatório fundamentado, relativo ao trabalho desenvolvido, será declarada a creditação ECTS, para suplemento ao diploma.

    Caso se verifique a necessária qualidade, será realizada exposição final do projecto no CEFT, sendo o resultado desse projecto colectivo publicado no portal Fotografia e Território/CEFT.

    Os participantes comprometem-se a entregar cópia das fotografias realizadas no âmbito do workshop fotográfico, para utilização do CEFT, exclusivamente no âmbito da sua Missão de divulgação da prática fotográfica. Serão garantidos os direitos de autor, nos termos da legislação em vigor.

     Produtos finais

    Colecção de fotografia, relativa a Tomar, para o Arquivo Fotográfico do CEFT/IPT/CMT.

    Exposição integrada no ciclo “Fotografia e Território”

    Publicação do projecto no portal Fotografia e Território

    Relatórios individuais dos participantes relativos ao desenvolvimento do projecto e sua conclusão, caso desejem ser creditados.

    Registos (ideográficos e outros…) relativos às intervenções dos especialistas convidados.

     

    Formador

    - João Henriques

    Mestre em Fotografia pelo Instituto Politécnico de Tomar, Membro do Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, CEFT-Casa dos Cubos, para o projecto Fotografia e Território.

    Organização

    Centro de Estudos em Fotografia de Tomar, CEFT – Casa dos Cubos

    Calendário e actividades previstas

    - Setembro, Outubro e Novembro de 2021

    - 8 de setembro, sessão de apresentação, manhã e tarde, videoconferência: vários interveniente em Território.

    - 11 de setembro, conferência em Fotografia e Território por Paulo Catrica, inauguração de exposição deste autor.

    - 15 de setembro, sessão de discussão e descrição do projecto colectivo em fotografia e território.

    - 12 sessões de trabalho colectivo, 30 hrs, divididas da seguinte forma: 20 hrs teórico-praticas, 10 hrs preparação da exposição e materiais. 15x2 horas cada. Sessões ao longo dos três meses, em datas a combinar, presencial ou videoconferência.

    - Conferências com especialistas convidados, em data a combinar, em videoconferência.

    - Sessão para apresentação de proposta final para exposição e versão digital para publicação no portal Fotografia e Território/CEFT.

      

     

     

  • Projecto Editorial a Festa

    Projeto Editorial A Festa, o saber e o gesto

     

    Coordenação: André Camponés, Membro do CEFT

     

    Contextualização

    O projeto editorial A Festa, o saber e o gesto, teve como ponto de partida a exposição «A Festa, o Saber e o Gesto: de 1884 aos dias de hoje: a prática festiva em imagens», realizada no Centro de Estudos em Fotografia de Tomar (junho – outubro 2019). O CEFT possui um arquivo histórico que permitiu documentar a Festa dos Tabuleiros desde 1884 até 1974. Esse arquivo inclui originais fotográficos da autoria de vários fotógrafos de referência e cobre diferentes aspetos: retratos individuais e coletivos, vistas do cortejo e de outros atividades complementares. Como elemento adicional do espólio existente, procedeu-se a uma residência fotográfica que possibilitasse a compreensão dos bastidores da festa. Nesse sentido, a exposição contemplou duas estruturas dialógicas:

    • Os antecedentes históricos através das imagens, fotografia e cinema: pelo que se organizou uma cronologia visual de grande impacto junto do público em geral, até porque permitiu o esclarecimento de muitos mitos e mal-entendidas…
    • O contemporâneo, traduzido nas reportagens fotográficas, junto das pessoas que nos bastidores constroem a Festa e das Artes tradicionais que lhe dão forma.

    Estas duas partes serviram de base para a delineação do projeto editorial. Aproveitando o apport teórico da exposição, procedeu-se ao enquadramento e aprofundamento de várias áreas do conhecimento, designadamente a antropologia, a história, a sociologia, o património, teorias da imagem e fotografia, etc. Posteriormente foram elencadas uma série de tarefas a distribuir por todos os membros que constituem a equipa, tais como:

    • Reunir as coleções fotográficas, histórica e contemporânea;
    • Propor a sua organização no livro e organizar essas coleções em conformidade, de tal modo que fiquem disponíveis em plataforma online para consulta por parte dos intervenientes no projeto;
    • Decidir quais as componentes teóricas e pedir essas colaborações;
    • Organizar um pequeno grupo de “redatores” que apoie a coordenação do projeto editorial, na relação com todos os intervenientes, na revisão e organização final dos textos, na organização de ficha técnica, no registo do livro, no contacto com os designers e outros…
    • Organizar um pequeno grupo que apoie a coordenação do projeto nos contactos com o exterior: descrição do projeto, comunicados de imprensa, contactos institucionais com parceiros, contactos com possíveis financiadores, pedidos de orçamentos junto de gráficas, plano financeiro, organização de sistema de distribuição, etc

    A equipa coordenadora do projeto, constituída pelo Professor António Ventura e pelo antropólogo André Camponês, desenvolveu diligências no sentido de dar sustentabilidade ao mesmo através da criação de grupos de trabalho que assegurassem o planeamento e execução da proposta. Nesse sentido, foram pedidos apoios ao Mestrado de Design Editorial do IPT e à direção da Escola Superior de Gestão de Tomar para a execução do plano financeiro adequado ao desenvolvimento e implementação do projeto.

    O projeto encontra-se estruturado da seguinte forma:

    Projeto Editorial A Festa, o Saber e o Gesto

    Prefácio/Nota de Abertura (texto de 700 palavras)

    Presidente de Câmara Municipal de Tomar e/ou Vereadora da Cultura

    Introdução – da responsabilidade da coordenação editorial (António Ventura e André Camponês) - 2500 palavras

    Capítulo I (A FESTA)

    História, Património e Turismo

    1 - A Festa dos Tabuleiros: perspetiva histórico-antropológica – André Camponês

    2 -A Festa dos Tabuleiros: Olhar sobre as dinâmicas turísticas e patrimoniais– João Pinto Coelho

    3 -O Culto do Espírito Santo em Tomar e no Mundo – Ana Soares

    4- A Festa dos Tabuleiros: herança iconográfica – Moisés Lopes

    Capítulo II (O Saber)

    A Salvaguarda da Festa: o tratamento arquivístico e imagético

    1 - O papel do CEFT na salvaguarda do Património Cultural tomarense – António Ventura

    2 - Da conservação ao restauro: as coleções fotográficas da Festa dos Tabuleiros do CEFT – Patrícia Romão

    3 - A Exposição “A festa, o saber e o gesto”: Montagem e execução – Andreia Pardal e António Ventura

    4 - O Documento Etnográfico como suporte de (re)imaginação festiva – João Luz

    Parte III (O Gesto)

    1 - Kenya de Aguiar Ribeiro

     

    Parceria: Mestrado em Design Editorial da Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Tomar

     

    PROJECTO DESIGN DO LIVRO

    SEMESTRE 2020-2021

    MESTRADO EM DESIGN EDITORIAL

    UC DESIGN DO LIVRO / trabalho em curso

     

    PROJECTO

    Projecto de um livro sobre a festa dos tabuleiros de tomar a partir das ideias e trabalho realizado pelo Centro de Fotografia de Tomar.

    ETAPAS DO PROJECTO

    FASE 1

    Diagnóstico editorial e gráfico (contexto comercial; tipo de livro/edição que melhor serve esse contexto; fisicalidade do livro)

    FASE 2 (onde estamos e que acabará no dia 19 de Dezembro)

    Definir a obra; primeiros desenhos da capa, articulação capa/contracapa/lombada, look and feel global; tipo de encadernação; paleta cromática, tipográfica, recorrências gráficas e páginas principais. Primeiro “mono”.

    FASE 3

    Desenho da capa e o miolo completo. 

     

    Coordenação

    Gonçalo Falcão

    BIOGRAFIA SUMÁRIA

    FORMAÇÃO

    Licenciatura em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (1992), título de especialista pela Instituto Politécnico de Castelo Branco (2012), Doutoramento em Design pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (2015).

    Em processo de Post-Doc desde 2018.

    PRÁTICA PROFISSIONAL

    Designer e sócio gerente de uma empresa de design (ideia, designers) de 1992 a 2017. O trabalho da empresa foi distinguido em várias publicações nacionais e internacionais e está presente na História do Design Português (Bártolo, J. (2015). Design Português 6 (1a). Verso da História).

    TRABALHO ASSOCIATIVO

    Membro da Associação Portuguesa de Designers desde 1993 e da direção de 1995 a 2003. Membro da comissão organizadora do Icograda’94. Organizador do EED – Encontro de Empresas de Design.

    PRÁTICA PEDAGÓGICA

    Começou a atividade letiva em 1995. Em 1998 foi convidado para dar aulas no curso de design do Ar.Co. Leccionou no Mestrado em Design Gráfico no Instituto Politécnico de Castelo Branco (2011-2019) e no Mestrado em Design Editorial no Instituto Politécnico de Tomar de 2019 até ao presente. Desde 2008 que integra o corpo de docentes da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa no Departamento de Design lecionando nos 3 ciclos.

    Coordenador do mestrado em Design de Comunicação entre 2019 e 2020

    Coordenador do grupo de investigação DHISTO – Design, História e Quotidiano no CIAUD.

     

     

     

     

    Congresso A Festa, o saber e o gesto: Jornadas Europeias do Património (setembro de 2021)

    Cada comunicação tem a duração de 20 minutos. As apresentações de todos os painéis serão feitas sequencialmente. Espaço de debate de 30 minutos no final de cada painel.

    Programa provisório:

    Painel I A Festa: História, Património e Turismo (10h30 – 12:30)

    Moderação: Vereadora Filipa Fernandes

    1 - A Festa dos Tabuleiros: perspetiva histórico-antropológica – André Camponês

    2 - O Turismo e o Património: Abordagens teóricas em torno da Festa – João Pinto Coelho

    3 -Enquadramento das Festas do Espírito Santo no Mundo– Ana Soares

    4 - A Festa dos Tabuleiros: herança iconográfica – Moisés Lopes

    Painel II A Salvaguarda da Festa: o tratamento arquivístico e imagético (14h30m – 16h30m/ intervalo 17h30m – 18h30m

    Moderação: Ana Soares

    1 - O papel do CEFT na salvaguarda do Património Cultural tomarense – António Ventura

    2 - Da conservação ao restauro: as coleções fotográficas do CEFT – Patrícia Romão

    3 - A Exposição “A festa, o saber e o gesto”: Montagem e execução – Andreia Pardal

    4 - O Documento Etnográfico como suporte de (re)imaginação festiva – João Luz

    5 - Os cartazes da Festa dos Tabuleiros: Olhar cronológico – José Matias

     

    Painel III: A Festa e a comunidade

    Moderação: João Vital

    1 - O papel do Associativismo na dinâmica Festiva – Vereador Hugo Cristóvão?

    2 - A Comissão Central e a montagem da prática festiva – Maria João Morais

    3 - As freguesias do Concelho: cidadania ativa – António Graça?

    4 - Artesãos e Artistas: a fruição festiva e o património associado – Carlos Trincão?

     

    Painel IV: A Festa, o saber e o gesto (14h30m/17h)

    1 - O GRAFO (Grupo de Amigos da Fotografia de Tomar) e a Festa dos Tabuleiros – Luís Ribeiro/Paulo Ferreira

    2 - Residência Fotográfica – Kenia de Aguiar Ribeiro.

     

  • Projecto Museu Aldeia - CEFT Casa dos Cubos